Costa Favolosa é entregue pelo Fincantieri.

|

O estaleiro Fincantieri de Marghera, na Itália, entregou hoje a Costa Crociere o Costa Favolosa. O navio agora de propriedade da armadora italiana, é o maior a ostentar a bandeira da Itália, e o 15º da frota da Costa. Gêmeo do Pacifica, Serena e Concordia, possui 114 mil toneladas, e capacidade para até 3,780 passageiros em ocupação máxima.

Pier Luigi Foschi durante a cerimônia de entrega.
"Para nós, a entrega do Costa Favolosa, é motivo duplo de orgulho. É um navio mara- vilhoso, é realmente um "Castelo encantado contem- porâneo" com tecnologia incrível, onde nossos hóspedes experimentarão "férias de contos de fadas". Porém, isso também confirma a solidez da nossa companhia. Apesar da situação econômica mundial, que não é das mais favoráveis, nossa expansão continua, com grandes investimentos na Itália, graças a força da nossa marca, garantida por mais de 60 anos de experiência de mercado, a qualidade de nossos produtos, e a satisfação de nossos clientes" disse Pier Luigi Foschi, CEO e Presidente da Costa Crociere S.p.A.
Costa Favolosa durante testes de mar no Mediterrâneo.
O navio será inaugurado no final de semana, em uma cerimônia em Trieste. Logo em seguida começa sua temporada pelo Adriático com saídas de Veneza. Em Novembro parte para Dubai, de onde fará cruzeiros pelo Oriente Médio até Março. É o substituto natural ao Costa Pacifica na temporada 2012/2013 no Brasil.

Texto (©) Copyright Daniel Capella.
Imagens (©) Copyright Costa Cruzeiros (a última através de MeretMarine).

Paraná quer receber navios de cruzeiro!

|

Veendam em Paranaguá. 
O governo do Paraná deu início a um conjunto de projetos para desenvolver o turismo náutico no Estado, em parceria com o Ministério do Turismo e organizações públicas e privadas. O assunto será o tema da reunião do GT Náutico Brasileiro, nos 5 e 6 de julho, na sede da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), em Paranaguá, onde será articulado um convênio para elaborar um diagnóstico do potencial do turismo náutico paranaense.

"Estamos abrindo um cenário de desenvolvimento importante para o turismo paranaense, que se inicia por duas regiões com excelente potencial para o turismo náutico: as baías e praias litorâneas, e o lago de Itaipu e os rios Iguaçu e Paraná, na Costa Oeste", afirma o secretário de Estado do Turismo, Faisal Saleh.

O debate terá participação de lideranças dos sete municípios litorâneos, diretores da Appa, das secretarias estaduais de Infraestrutura e Logística, do Turismo, do Meio Ambiente e da Indústria e Comércio, e ainda de representantes dos Ministérios da Justiça e da Pesca, da Marinha, da Secretaria do Patrimônio da União, das Agências Nacionais de Vigilância Sanitária (Anvisa) e de Transportes Aquaviários (Antaq), da Abremar (Associação Brasileira de Representantes de Empresas Marítimas), da BrasilCruise (Associação Brasileira de Terminais de Cruzeiros Marítimos), entre outras organizações não-governamentais do setor.

O grupo vai conhecer os projetos de expansão dos portos paranaenses, que incluem a criação de um terminal de passageiros. Com a ampliação do cais do porto de Paranaguá, na área leste, será construído um terminal exclusivo para receber navios de passageiros, com área de receptivo para turistas e com toda a infraestrutura necessária. Os recursos para a construção do novo terminal estão sendo pleiteados junto ao governo federal.

"Estamos trabalhando para receber já na próxima temporada de verão navios de cruzeiro com turistas interessados em explorar praias, baías e outras belezas do litoral do Paraná. Montaremos uma estrutura alternativa de receptivos até que as obras do novo terminal estejam concluídas", explica o superintendente da Appa, Airton Maron.

Esta ação também inaugura um novo modelo de cooperação pelo desenvolvimento da Região Turística do Litoral, com o fortalecimento da Instância de Governança Regional Adetur Litoral. A entidade é reconhecida como organismo institucional adequado pelo Ministério de Turismo e Secretaria de Estado do Turismo para centralizar as ações de integração e ação compartilhada entre empresas, cidadãos e municípios interessados em estruturar e mostrar ao País e ao mundo as potencialidades turísticas, históricas e culturais do litoral do Paraná.

Texto (©) Copyright O Estado do Paraná.
Imagem (©) Copyright Arquivo Appa.

STX anula contrato de navio líbio.

|

O X32 no último dia 24. 
O estaleiro francês STX Europe, também conhecido como Chantiers de l'Atlantique, em St. Nazaire, na França, cancelou oficialmente o contrato com a armadora líbia GNMTC. A Armadora tinha encomendado, há pouco mais de um ano (veja nota da época), um navio de cruzeiro, com 1,739 cabines e 139,000 toneladas. O navio seria bem parecido com os da Classe Fantasia da MSC, e seria entregue no final de 2012.

MSC Fantasia
Porém, há pouco tempo, o estaleiro decidiu romper o contrato por falta de pagamento. Ao assinar o contrato, a GNMTC, pagou 10% do valor do navio, na época, foi acertado que outros 25% do valor seriam pagos em Maio desse ano. Porém, como já haviamos adiantado, ainda em Maio, a empresa líbia não honrou seus compromissos. Os problemas que a Líbia vem enfrentando, e a guerra das forças de coesão internacionais contra as do General Kadhafi teriam sido também um empecilho a continuação dos planos da empresa, que é estatal, e administrada por um filho de Kadhafi. 

Enquanto isso o X32 (nome não oficial utilizado pelo estaleiro), já está cerca de 40% concluído. E segundo decisão do estaleiro, os trabalhos não cessarão. Assim, o STX aposta que outro armador poderá se interessar em comprar o navio, provavelmente por um preço menor do que o normal. Naturalmente, a maior interessada seria a MSC, que já tem dois navios iguais ao X32, e outro sendo construído no mesmo estaleiro. Porém, segundo sites da França a negociação não é tão simples, e poderão entrar em cena outras empresas. Isto porque a MSC estaria oferecendo muito pouco pelo navio, e creditando sua oferta, à dificuldade que o STX Europe tem tido para ganhar novas encomendas (além do navio da MSC e do X32, tem só mais um, o Europa da Hapag-Lloyd, que ainda está em fase de projeto). 

Armonia e Mistral juntos, porém, ainda à serviço
da Festival Cruises. 
Essa é uma ótima ocasião para qualquer armador de navios de cruzeiro, já que é possível adquirir um navio novo, muito grande (maior que os navios da Voyager Class da Royal Caribbean), por um preço abaixo do normal. Na história recente, alguns casos parecidos aconteceram, como o do Norwegian Sky, que estava sendo construído na verdade para a Costa como gêmeo do Victoria, e também com o Empress, da Pullmantur, que seria construído para uma companhia chamada Admiral Cruises. Ocasião semelhante só acontece quando da falência de uma companhia, como quando da Reinassance, ou Festival, em que seus navios (o ex-Blue Dream, Insignia, o MSC Armonia, MSC Sinfonia, Grand Mistral) foram leiloados para conseguir levantar fundos e cobrir suas dívidas. 

Texto (©) Copyright Daniel Capella, com informações de MeretMarine.
Imagem (©) Copyright Jacques Riegert, MSC e Mont Serrat Reporter

Porto de Salvador bem colocado em ranking da Abremar

|

Mariner of the Seas atracado em Salvador.
O porto de Salvador foi o quarto do país no segmento de cruzeiros marítimos na temporada 2010-2011. O dado consta num estudo elaborado pela Fundação Getúlio Vargas, por encomenda da Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos (Abremar). A pesquisa coloca a capital baiana com a melhor colocação fora do eixo Rio São-Paulo, tanto em número de passageiros como em receita gerada. Segundo a FGV, os cruzeiros marítimos geraram em Salvador uma movimentação de R$ 43,9 milhões na alta estação recém encerrada, quase 10% do impacto global levantado pelo estudo R$ 522,5 milhões, contando cruzeiristas e tripulantes.

O líder neste item foi o porto do Rio de Janeiro (R$ 102,9 milhões), seguido de Santos (R$ 86,6 milhões), Búzios-RJ (R$ 42,3 milhões). Pouco atrás ficou o terminal de passageiros de Ilhabela (R$ 42,3 milhões). Em número de embarques/desembarques, Salvador também ficou em 4º, tendo Santos, Rio de Janeiro como principais destinos e Búzios também na terceira colocação. A pesquisa inclui apenas navegação de cabotagem (interna do país) e utiliza um conceito de alta temporada mais abrangente: até maio do ano seguinte.

Segundo a Tribuna da Bahia, de acordo com a FGV, o dinheiro movimentado por cruzeiros em todo o Brasil no período 2010/2011 foi gasto em: comércio varejista (R$ 172,6 milhões), alimentação e bebidas (R$ 155,1 milhões), transporte (R$ 80,3 milhões), passeios turísticos (R$ 67,6 milhões) e hospedagem (R$ 16,4 milhões). O aquecimento da atividade gerou aproximadamente 20.638 empregos, sendo 5.603 tripulantes e 15.035 criados, de forma direta e indireta pelos gastos dos turistas nas cidades portuárias e na cadeia produtiva de apoio ao setor.

No comparativo com mesma temporada do ano passado, o setor de cruzeiros teve expansão de 10%, totalizando 800 mil cruzeiristas, dos quais 100 mil estrangeiros. O percentual de crescimento e pouco maior do que a média internacional (entre 8% e 9%). Já Salvador teve uma expansão de 15% na última alta estação. Segundo projeções da Companhia de Docas do Estado da Bahia (Codeba) e a empresa Saltur, da prefeitura, Salvador recebeu cerca de 350 escalas entre outubro do ano passado e abril último. O ponto alto ocorreu na terça-feira de Carnaval, quando oito navios aportaram no terminal de passageiros soteropolitano simultaneamente, trazendo 23 mil foliões.

Texto (©) Copyright O Povo Online.
Imagem (©) Copyright Daniel Capella

Escala do navio Arcadia em Ponta Delgada

|

Belas imagens do navio Arcadia em Ponta Delgada em Novembro de 2010, e Junho de 2011.
Crédito das imagens: António Simas e André Moura com direitos do autor, para ver mais fotos de ambos, clique nos seus nomes.

P&O aumentará escalas no Brasil na temporada 2012/2013

|

O Arcadia que fará duas escalas no Brasil
A P&O Cruises, marca inglesa do grupo Carnival, anunciou na semana passada os roteiros de seus novos cruzeiros de volta ao mundo. Serão quatro navios fazendo este tipo de viagem: o Aurora, Adonia, Arcadia e o Azura, que será um dos maiores navios a realizar os cruzeiros de volta ao mundo, com capacidade para 3,100 passageiros.

Segundo Carol Marlow, da P&O Cruises, esse será o maior programa de cruzeiros de volta ao mundo de qualquer companhia, e seus navios farão escala em 94 cidades em 52 países diferentes, percorrendo 130,000 milhas náuticas.

Destes navios, o Arcadia e o Adonia farão escalas no Brasil. O Arcadia, navio da Vista Class bem parecido com o Costa Mediterranea, fará escalas somente no Rio de Janeiro e em Recife, nos dias 18 e 15 de Janeiro de 2013, respectivamente.

Adonia
Já o Adonia fará escala em 9 cidades brasileiras, e ainda fará uma pernoite em Manaus. Além de Manaus, ele fará escala respec- tivamente em Santarém, Parintins, Alter do Chão, Fortaleza, Recife, Salvador, Búzios e Rio de Janeiro, nos dias 25, 26 e 29 de Janeiro, e nos dias 2, 4, 6, 8 e 9 de Fevereiro de 2013. Em Manaus a escala de dois dias irá de 27 a 28 de Janeiro. O Adonia é o mais novo navio da P&O, transferido para a frota da companhia há algumas semanas. Ele virá ao Brasil também na próxima temporada, porém, com menos escalas.

Outra companhia que anunciou seus novos cruzeiros ao redor do mundo é a Cunard, que opera o Queen Mary 2, o Queen Victoria e o Queen Elizabeth. Nenhum dos cruzeiros de volta ao mundo da companhia farão escala no Brasil, como já acontecerá na próxima temporada.

Texto (©) Copyright Daniel Capella .
Imagens (©) Copyright Virgin Holidays e Chris Brooks

Vitória planeja construir terminal de cruzeiros.

|

Com o aumento da chegada de navios de cruzeiros no Espírito Santo, a prefeitura de Vitória, em parceria com o Governo, deve construir até o final de 2012 um porto exclusivamente para atender a demanda de turistas que desembarcam na Capital. O terminal será na Praça do Papa e está orçado em R$ 20 milhões.

Segundo o secretário municipal de Turismo, Antônio Olímpio Bispo, o Porto de Vitória já não comporta mais o fluxo de cruzeiros que passam pela Capital e o novo terminal vai possibilitar maior movimentação de turistas que chegam à Capital por meio dessas embarcações.

Para se ter uma ideia, na temporada 2010/11 foram 31 escalas que trouxeram cerca de 55 mil passageiros para o Estado. “E a tendência é que esse mercado cresça e com o terminal vamos poder trabalhar com navios maiores, com capacidade de até 3,5 mil passageiros”.

Bispo explicou que estudos para a construção do terminal já foram feitos e será necessário fazer apenas uma dragagem em parte da área onde vai ser construído o porto, já que a região já vai passar por uma dragagem maior e que será feita pela Codesa.

No local será construído ainda um píer para receber as embarcações e a previsão é que o terminal também possa ser utilizado para outras atividades quando não estiver no período de temporada de cruzeiros.

O valor previsto para a obra, segundo o secretário, pode ser maior. Os recursos para o empreendimento saíram dos cofres da prefeitura e também do Governo no Estado.

Bispo acredita que o terminal já esteja pronto no final do ano que vem para receber os turistas da temporada 2012/13. Segundo ele, não há uma previsão de quantos turistas devem desembarcar no Estado no ano que vem, mas a expectativa é que seja superior aos 55 mil registrados esse ano.

“A gente espera que esse terminal será bem positivo para o turismo e vamos conseguir ampliar o número de cruzeiros quando ele estiver concluído”.

Texto (©) Copyright Folha Vitória .
Imagem (©) Copyright Divulgação

Royal Caribbean diminuirá oferta no Brasil?

|

Serenade of the Seas
Hoje a Royal Caribbean anunciou que o Serenade of the Seas fará roteiros pelo Oriente Médio, com partida de Dubai, durante a temporada 2012/2013. O anúncio é de grande interesse para os brasileiros, já que esse era o último navio da companhia que ainda não tinha roteiros definidos, e que poderia vir ao Brasil. Em Abril, a Royal já tinha anunciado sua temporada caribenha (veja a matéria com detalhes), e ao que tudo indicava, a companhia traria um novo navio ao Brasil, já que a travessia prevista para o Brasil tinha sido retirada do site. Na época, haviam várias possibilidades de navios para se juntar ao Vision na América do Sul, porém,no começo desse mês a lista de navios diminuiu drasticamente, com o anúncio (leia notícia da época com mais informações) da volta dos navios que já fazem a temporada na Austrália (Radiance e Rhapsody), e Ásia (Legend), além da estréia do Voyager of the Seas nesses mercados.

Até aqui, nada de novo. Mas a partir de hoje, a suspeita de uma novidade na temporada, passa a ser a suspeita de uma diminuição na oferta, ou mesmo da repetição da dupla Vision e Splendour (que apesar de tudo, ainda são melhores que a maioria dos navios no Brasil) mais uma vez. Isso porque haviam somente dois navios sem roteiro: o Grandeur e o Serenade of the Seas. Já era esperado, que o Serenade substituísse o Brilliance em Dubai, notícia que foi confirmada hoje. Sobraria então o Grandeur of the Seas, quase-gêmeo do Vision e do Splendour, ele poderia ser o terceiro navio da companhia no país, ou mesmo substituir o Splendour. Porém, para nossa surpresa, está prevista uma travessia no navio até Miami na época da temporada brasileira, e o Splendour, continua com viagens na Europa previstas até o final de Novembro.

Vision of the Seas
Nessas condições, ou a Royal voltará atrás, e trará o Splendour novamente, que chegaria aqui pouco antes do Natal, ou diminuirá sua oferta, trazendo só o Vision of the Seas, que já tem sua transatlântica Lisboa-Santos prevista desde Abril, para a temporada brasileira. Há não ser que haja uma nova mudança de planos, como a que ocasionou a vinda do Mariner ao Brasil!

Texto (©) Copyright Daniel Capella .
Imagens (©) Copyright Royal Caribbean e Daniel Capella

Santos já tem 22 navios confirmados para a temporada 2011/2012

|

MSC Armonia
Mesmo com a diminuição no número de navios em temporada no Brasil, Santos receberá um navio a mais do que na última temporada, quando 21 navios estiveram na cidade. O fato se deve principalmente ao aumento no número de navios em trânsito que chegarão ao Concais. Porém, o número de estreias será menor do que na temporada anterior, quando 7 navios fizeram a primeira escala na cidade. Em 2011/2012 somente o  Costa Pacifica, o Crystal Symphony, o Silver Spirit e o Balmoral farão escalas inaugurais.  O número de navios em trânsito passa de seis na última temporada para sete, além dos navios que farão embarque apenas uma vez em Santos, como o Costa Magica, o Grand Celebration e o MSC Musica. Apesar disso, espera-se que o número de escalas, e a quantidade de passageiros seja maior do que a da temporada 2010/2011. Abaixo os navios que virão a Santos na próxima temporada:
Costa Victoria
Costa Magica;
Costa Victoria;
Costa Fortuna;
Costa Pacifica;
MSC Orchestra;
MSC Musica;
MSC Armonia;
Grand Celebration;
Grand Holiday;
Grand Mistral;
Zenith;
Empress;
Silver Whisper
Sovereign;
Splendour of the Seas;
Vision of the Seas;
Crystal Symphony;
Seven Seas Mariner;
Insignia;
Balmoral;
Silver Whisper;
Silver Spirit;
AIDA Cara.
Nesse link do site do Concais estão disponíveis listas com todos os navios que fizeram escala no terminal desde a sua primeira temporada, em 1998.

Texto e Imagens (©) Copyright Daniel Capella.

Navios da Azamara Club Cruises vão incluir roteiros da América do Sul

|

Os navios da marca Azamara Club Cruises vão combinar vários roteiros pela América do Sul, para a temporada 2011/2012. As escalas incluem Caribe, Amazônia, cidades do Nordeste brasileiro, Rio de Janeiro, Buenos Aires e Punta del Este. Há opções de cruzeiros de oito a 14 noites, com pernoite no feriado de Natal, na noite de Ano Novo e período carnavalesco. Recife está entre os destinos programados.

Para a diretora de hotelaria do Azamara, Heike Berdos, levar os navios para o continente sul-americano é importante para conquistar os clientes. “Aumentando a frequência e a participação nessa região, teremos melhor fidelização”, afirma. A tripulação vai passar por um treinamento para entender a cultura brasileira e de outros povos da América do Sul.

A gerente de vendas Juliana Meyer, 26 anos, é natural de Salvador e disse que ficará feliz em mostrar sua cidade natal para estrangeiros. “Muitas pessoas estão procurando nossos cruzeiros que passam pelo Brasil. Elas perguntam muito sobre o carnaval e demonstram medo da violência. Eu as tranquilizo e falo que nossas excursões serão realizadas em lugares seguros”, conta.
Para mais detalhes sobre a operação da Azamara no Brasil acesse nossa postagem original sobre o assunto, de Abril do ano passado, clicando aqui.

Texto: Copyright Diário de Pernanbuco

Navio bate em cais no Porto de Santos.

|

Créditos: Carlos Nogueira - 17/06/2011
Carlos Nogueira - 17/06/2011
O navio Maritime Champion, de bandeira de Cingapura, colidiu com o cais do Terminal 35 da Libra, na Ponta da Praia, na madrugada desta sexta-feira. O acidente aconteceu por volta das 3h20, quando o cargueiro entrava no Porto de Santos. Segundo a Praticagem, havia prático a bordo.

A embarcação deveria atracar no Terminal Marítimo do Guarujá (Termag), na Margem Esquerda do complexo, para o desembarque de 13.350 toneladas de fertilizantes.
Carlos Nogueira - 17/06/2011
Em nota oficial, a Libra informou que está investigando as avarias causadas para avaliar quando conseguirá retomar a totalidade das operações, já que, momentaneamente, os trabalhos no trecho do cais atingido estão paralisados. A expectativa da empresa é que as atividades sejam normalizadas o mais breve possível. A companhia destacou ainda que os terminais 35.1 e 37 seguem operando normalmente.

Segundo informações iniciais coletadas pela Guarda Portuária, cerca de 10 metros do cais ficou avariado. A rede de distribuição de energia elétrica dos portêineres também teria sido atingida.

Um equipe da Capitania dos Portos de São Paulo (CPSP) está no local para avaliar o danos causados. Nesse momento, o navio está atracado no Termag. A agência do cargueiro, a Oceanus, também está com a seguradora analisando os prejuízos.
Carlos Nogueira - 17/06/2011
Texto (©) Copyright A Tribuna .
Imagens (©) Copyright Carlos Nogueira (A Tribuna)

Navio mexicano volta a operar

|

El crucero mexicano Ocean Star Pacific reinicia operaciones al zarpar este domingo desde Acapulco. Foto Oscar Belén/RENAYORK.COM
Ocean Star Pacific em Acapulco, México
Voltou a operar na semana passada o navio mexicano Ocean Star Pacific, da companhia mexicana Ocean Star Cruises. O navio tinha sofrido um incêndio em alto mar há quase dois meses (veja notícia da época com mais detalhes), e desde então encontrava-se paralisado para reparos e reforma. O navio é o ex-Aquamarine, que operou pela Louis até o ano passado. Ele foi construído em 1970 como um dos primeiros navios da Royal Caribbean, e com o nome de Nordic Prince.
El crucero mexicano Ocean Star Pacific reinicia operaciones al zarpar este domingo desde Acapulco. Foto Oscar Belén/RENAYORK.COM
Ele foi adquirido ano passado por empresários mexicanos que tomaram a iniciativa de criar uma companhia mexicana, com cruzeiros destinados a população daquele país, e com viagens na costa pacifica do mexico durante o ano inteiro. Há certo tempo empresários venezuelanos também tiveram esta iniciativa, e após comprar o Black Prince, da Fred.Olsen, criaram a Ola Cruises, que oferece cruzeiros o ano inteiro com partida de La Guaira, e escala em Aruba e outros portos, a bordo do Black Prince, que agora se chama Ola Esmeralda. Já no Brasil, continuamos dependentes de companhias estrangeiras, e reféns das altas taxas sobradas pelo governo, e da falta de infraestrutura. 

Texto (©) Copyright Daniel Capella .
Imagens (©) Copyright Rena York

Cruzeiros no Ocean Dream não farão escala em Noronha?

|

Ocean Dream em La Valletta, Ilha de Malta. 
A partir de agora, a Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) só poderá emitir licenças ambientais ou autorizações para atividades turísticas de cruzeiros no arquipélago de Fernando de Noronha após estudo de risco e impacto ambiental da atividade. A decisão toma como base liminar na Justiça obtida pelo Ministério Público Federal (MPF) em Pernambuco.

A Justiça também determinou que, para emissão da licença ambiental, é preciso a participação e autorização do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) no processo. A ação foi ajuizada pela procuradora da República Mona Lisa Duarte Ismail.

No ano passado, o MPF encontrou infrações ambientais relativas à operação de navios de cruzeiro no arquipélago e recomendou que a CPRH suspendesse imediatamente todas as autorizações e licenças ambientais para atividades turísticas de cruzeiro no arquipélago e ainda que repassasse ao Ibama/ICMBio todos os processos que tratassem de solicitações desse tipo de licença, o que não foi feito.

Diante disso, foi necessária intervenção da Justiça, que concordou com os argumentos do MPF de que o risco da emissão de novas licenças pela CPRH, sem a obediência aos critérios normativos previstos na legislação ambiental, viola o direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado.

O MPF também entende que, conforme estabelece a legislação ambiental, é imprescindível a autorização do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) na concessão do licenciamento a empreendimentos e atividades desenvolvidas no mar territorial ou em unidades de conservação federal. O arquipélago abriga o Parque Nacional Marinho e a Área de Proteção Ambiental de Fernando de Noronha, ambas unidades de conservação federais.

Nós contatamos a CVC para mais detalhes, mas segundo a empresa, a responsabilidade dos cruzeiros Pullmantur já é da Pullmantur Brasil, que será contatada por nós.

Texto (©) Copyright Pernambuco.com
Imagem (©) Copyright York Schreiber.

Santos vai ampliar estrutura para passageiros

|

Projeto permitirá o atracamento simultâneo de até 4 navios de 300 metros. 
A Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp) pretende lançar em até um mês a licitação para a nova infraestrutura do porto de Santos destinada a navios de cruzeiro. O projeto, que integra o PAC Copa, está orçado em R$ 352 milhões, aumento de 193% sobre o valor inicial.

Segundo o diretor de Infraestrutura e Execução de Serviços da estatal, Paulino Moreira Vicente, os estudos mostraram que a obra de recuperação do cais era mais complexa do que o originalmente imaginado. O valor inicial não levava em conta sondagens geológicas em terra e mar, nem a fundação em leito rochoso. "No caso das estacas verticais, 85% delas serão fincadas em rocha, isso traz uma solução muito mais cara ao projeto", disse Vicente. No total, serão fincadas 682 estacas com extensão entre 30 a 40 metros cada.

O novo valor exigiu remanejamento de investimentos do PAC 2, mas sem prejuízo às demais obras, diz o executivo. Se tudo transcorrer dentro do previsto, a obra deve começar em novembro próximo e levar 26 meses. A perspectiva é que sejam gerados 600 empregos diretos durante a construção.

O projeto prevê o alinhamento e a readequação do cais de Outeirinhos, com a execução de 1.320 metros de cais entre os armazéns 23 e 29. A nova infraestrutura ampliará em quase quatro vezes a profundidade da região, que passará a ter 15 metros, permitindo a atracação de até seis navios. Hoje algumas áreas em Outeirinhos estão com 4,5 metros de profundidade, o que dificulta a operação logística dos transatlânticos, que são obrigados a atracar longe do terminal de passageiros.

A nova estrutura criará condições de o porto ofertar 15,4 mil leitos flutuantes, uma opção aos hotéis durante a Copa de 2014, acredita Vicente. Para ele, cidades da região, como Guarujá, têm condições de receber "entre uma e duas seleções". Mas o projeto se viabiliza de todo modo, afirma o diretor. "Com os novos berços de 15 metros, teremos um ganho adicional para a movimentação de carga". A temporada de cruzeiros não ocorre o ano todo, concentrando-se entre o fim do ano e o fim do primeiro trimestre.

Na última estação de transatlânticos, Santos recebeu 1,1 milhão de passageiros em 284 escalas, crescimento de 30% sobre o desempenho anterior. Com a obra de Outeirinhos, a estimativa é que o porto possa receber até 2,5 milhões de passageiros por temporada.

Os serviços estão divididos em duas fases, para evitar riscos de interrupção do fluxo normal de movimentação no porto. O Ibama considerou o empreendimento como de baixo impacto, dispensando a elaboração de EIA-Rima. Segundo Vicente, o licenciamento está vinculado à regularização ambiental do porto, que deve ser protocolada no próximo mês.

Texto (©) Copyright Revista Portos e Navios .
Imagem (©) Copyright Google Maps, adaptada por Daniel Capella

Margareth Madè será madrinha do Costa Favolosa

|

Margareth Made Actress Margareth Made attends the Opening Ceremony and Baaria Red Carpet at the Sala Grande during the 66th Venice Film Festival on September 2, 2009 in Venice, Italy.
A atriz italiana Margareth Madè será a madrinha do novo navio da Costa Cruzeiros, o Costa Favolosa. O batismo do 15º membro da companhia italiana acontecerá em 2 de julho, na Praça da Unificação Italiana, em Trieste, na Itália, em evento aberto ao público.

Para Pier Luigi Foschi, presidente e CEO da Costa Cruzeiros, "Margareth Madè e a Costa Cruzeiros compartilham valores que representam o estilo italiano, como beleza, refinamento e personalidade forte. Só poderia ser esta a atriz, que faz parte da elite dos ícones italianos, a musa do nosso navio e do estilo da Costa, inimitável e reconhecido no mundo".

O Costa Favolosa fará a sua estreia em mini-cruzeiro vernissage de três dias, saindo de Veneza, no dia 4 de julho, com escalas em Dubrovnik (Croácia) e Koper (Eslovênia). Em seguida acontece a viagem inaugural, também partindo de Veneza em 7 de julho, com 11 dias de duração, e paradas em Istambul (Turquia), Mykonos, Pireus e Olympia (Grécia) e Dubrovnik (Croácia).

Durante todo o verão de 2011 o Costa Favolosa terá cruzeiros de sete dias, com roteiro que inclui Veneza, Bari, Olympia (Grécia), Smyrna e Istambul (Turquia) e Dubrovnik (Croácia). Já no inverno de 2011/12 o Costa Favolosa disponibilizará cruzeiros de oito dias saindo de Dubai.

Fonte: Copyright Mercado e Eventos

Foto: Zimbio.com

Setor privado tem R$ 25 bi para investir em portos, mas burocracia trava projetos

|

Porto de Santos
Empresas do setor produtivo estão com R$ 25 bilhões no bolso para investir na construção de portos privados para escoamento de carga própria, mas não conseguem aplicar o dinheiro devido a dificuldades enfrentadas no entendimento com o setor público para liberação de áreas de instalação. O balanço é da Associação Brasileira dos Terminais Portuários (ABTP), que representa as companhias do setor.

Em entrevista ao Valor, o diretor-técnico da associação, Luiz Fernando Resano, disse que atualmente há pelo menos 30 projetos de terminais privados paralisados em alguma instância do governo, sem previsão para resposta.

A situação tem gerado reclamações já que criam competição desigual no setor. Os portos concedidos à iniciativa privada possuem uma série de processos burocráticos e um preço de serviço mais elevado que aquele oferecido pelos terminais privados.

A insatisfação com o desempenho dos portos também contamina o setor de turismo. De acordo com André Pousada, vice-presidente executivo da Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos (Abremar), a limitação dos portos para receber cruzeiros mexeu com o resultado do setor no ano passado. "Na última década, registramos crescimento médio no setor de 22% ao ano, mas na temporada do ano passado não avançamos nem 2%. O setor chegou ao limite."

Segundo a Abremar, há mais de 40 portos cadastrados para receber navios com turistas, mas não chegam a 20 aqueles que têm infraestrutura de receber essas embarcações. "Além disso, o Brasil tem o custo de cruzeiro entre os mais caros do mundo. Na média, somos 400% mais caros que os demais destinos", disse Pousada, durante audiência da Comissão de Viação e Transportes, na Câmara dos Deputados.

Para Ferreira Netto, da SEP, o governo está empenhado na ampliação e reestruturação de alguns portos considerados prioritários para o turismo, inclusive com vistas à Copa de 2014. Ele afirmou que, até o fim deste ano, serão licitadas as obras dos portos de Santos, Salvador, Rio de Janeiro, Recife, Fortaleza e Natal. O governo trabalha com a meta de entregar as obras até dezembro de 2013. Apesar de negar atraso, a Secretaria Especial dos Portos sabe que o prazo é curto.

Texto (©) Copyright Valor Econômico/André Borges .
Imagem (©) Copyright Daniel Capella

Falta de infraestrutura barra crescimento dos cruzeiros marítimos, diz Abremar

|


O mercado de cruzeiros marítimos viu um forte crescimento nos últimos anos, na casa dos 33%, mas a falta de infraestrutura fez com que, na última temporada, a alta tenha desacelerado para 10% – e o crescimento para os próximos anos está comprometido, de acordo com Ricardo Amaral, presidente da Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos (Abremar).

De acordo com Amaral, um dos principais problemas do setor é a falta de investimento nos portos.

“Hoje, até mesmo o segmento de cargas é prejudicado por este fator. A questão da dragagem é o problema que afeta ambas atividades. Sem poder receber embarcações de grande porte, os navios de carga não podem aumentar sua capacidade de transporte e os navios de Cruzeiros ficam limitados”, afirma.

Segundo ele, o setor chegou ao limite de operação, porque a falta de estrutura impede a criação de novos destinos de turismo marítimo, e os destinos existentes já estão saturados.

Outro agravante, segundo ele, é o fato de que os portos foram construídos para carga e há poucas adaptações para passageiros.

“Se não há uma estrutura para deslocamento desse turista, imagine o transtorno que isso pode causar em uma viagem de Cruzeiro, que tem o propósito de proporcionar as sensações mais incríveis e surpreendentes? E isso acontece!”

De acordo com o presidente da Abremar, alguns destinos estão preocupados em desenvolver sua capacidade de atracação, por enxergarem o filão dos cruzeiros.

“Em algumas cidades, no entanto, a situação é muito precária. Há alguns projetos de ampliação em andamento que estão há anos parados, aguardando autorização ou um estudo de impacto ambiental ou mesmo a boa vontade dos órgãos competentes. Isso é péssimo, pois são projetos fadados a nascerem desatualizados”, afirma.

A melhoria, segundo ela, também tem foco na Copa do Mundo.

“Entretanto, a vinda de Cruzeiros, durante a realização dos jogos, ainda depende de uma série de outros fatores.”

Texto (©) Copyright Colunistas Ig.
Imagem (©) Copyright Royal Caribbean

Radiance of the Seas completa revitalização de 19 milhões de dólares.

|

Radiance enters Victoria drydock for 22 days of workO Radiance of the Seas deixou a doca-seca em Victoria, onde se encontrava a 21 dias sendo revitalizado. O navio ganhou uma renovação total, e alguns ambientes novos, além de novas cabines, inclusive algumas individuais que serão testadas pela Royal Caribbean.

Entre as novidades estão novos bares, como o Pub Quill & Compass, uma tela gigante de LED na área da piscina, e novos restaurantes como o oriental Izumi, e o Park Café, novidades importadas do companheiro de frota Oasis of the Seas.

O programa de revitalização da frota da Royal Caribbean já incluiu o Liberty e o Freediom of the Seas, além do Oasis, que também ganhou novidades. O Splendour, próximo a receber as melhorias irá para o estaleiro em Outubro, e sairá de lá revitalizado, no começo de Novembro, para a temporada brasileira.


Texto (©) Copyright Daniel Capella.
Imagem (©) Copyright Royal Caribbean

MSC retoma escalas na Tunísia.

|

MSC Lirica
A MSC Cruzeiros anunciou que vai retomar as escalas no porto tunisino de La Goulette a partir de Julho.

O MSC Fantasia e o MSC Lírica regressam a La Goulette no dia 5 de Julho e o MSC Splendida e MSC Sinfonia tocam o porto tunisino no dia seguinte. Os quatro navios irão realizar cruzeiros de sete noites no Mediterrâneo ocidental, com o MSC Lírica a fazer escalas em Gênova, Ajaccio (Córsega), Civitavecchia, Salerno, La Goulette, Palma de Maiorca, Marselha até regressar a Gênova.

O MSC Fantasia fará um itinerário que tocará os portos de Gênova, Marselha, Barcelona, La Goulette, La Valletta, Messina, Civitavecchia até voltar a Gênova.

O MSC Splendida sai de Gênova e toca os portos de Nápoles, Palermo, La Goulette, Palma, Barcelona, Marselha até voltar a Gênova.

O MSC Sinfonia sai e regressa a Livorno, com passagens por Villefranche, Valência, Ibiza, La Goulette, Catania e Nápoles.

"O país voltou ao normal, a situação está estável e podemos voltar a oferecer um dos destinos favoritos para este Verão no Mediterrâneo", disse o CEO, Pierfrancesco Vago no comunicado.

A Tunísia também faz parte dos itinerários de Inverno, entre Dezembro e Março, nos cruzeiros de sete noites no MSC Splendida que partem de Gênova.

Texto (©) Copyright PressTur.
Imagem (©) Copyright Daniel Capella

M.S. Funchal continua sendo adaptado ao novo SOLAS em Lisboa

|



O veterano Funchal, que já operou no Brasil inúmeras vezes, e que hoje ostenta 50 anos de serviço, continua em Lisboa sofrendo as adaptações necessárias para poder continuar navegando. O navio, hoje operado pela Classic International Cruises, companhia de um bilionário grego, necessita dessas alterações para se adequar as novas regras de navegação, impostas pelo SOLAS 2010, e conseqüentemente navegar legalmente. O navio não sai de Lisboa desde Setembro do ano passado, quando realizou uma temporada européia, focada nos passageiros portugueses, e com embarque em Lisboa. Desde então, 12 milhões de euros estão sendo gastos no serviço de modernização e adequação, que curiosamente não é de responsabilidade de nenhum estaleiro, mas sim de seu proprietário, o grego Potamianos. Só esteve sob responsabilidade de estaleiro quando entrou na doca-seca do estaleiro Naval Rocha, em Fevereiro, local que ainda deve voltar antes de partir para seus cruzeiros programados. Os trabalhos fluem bem, mas estão atrasados, e alguns dos cruzeiros que estavam previstos para Agosto tiveram que ser cancelados por este motivo. Quando voltar a serviço, o navio terá o casco pintado, como no seu projeto original, de preto, e com uma faixa dourada na altura do casario.  As fotos, exceto a do casco preto, foram tiradas hoje, na ponte-cais da Matinha, em Lisboa, onde o navio está atracado.


Texto (©) Copyright Daniel Capella.
Imagens (©) Copyright Rui Agostinho, Lisboa e Ships & The Sea (casco preto)

Blog WorldCruises.com atinge 185,000 visitas!

|

Hoje o Blog WorldCruises.com atingiu a importante marca de 185 mil visitas desde a sua primeira postagem, em Agosto de 2009. O número é reflexo do aumento na média diária de visitas, que o blog sofreu entre os meses de Outubro e Março, quando aproximadamente 380 pessoas acessavam o blog diariamente. Sendo o dia 29 de Março o dia com mais visitas no período, nesse dia, os contadores atingiram 701 visitantes, reflexo do acidente com o MSC Opera em Buenos Aires. O mês com mais visitas foi o de Dezembro com 10,628 acessos. Desde então, porém, a média caiu para 200 visitas por dia, devido, provavelmente ao término da temporada. Mesmo assim, o WorldCruises é o blog que lidera o ranking de visitas entre os sites e blogs brasileiros que divulgam suas estatísticas.

Além disso, nossas fotos tem ganhado cada vez mais projeção no cenário nacional, e até internacional. Algumas fotos de Daniel Capella, principal editor do blog, já foram publicadas em sites como, por exemplo, o Simplon PostCards, da Inglaterra, o Shipparade, da Holanda, o Noticias de Cruceros, da Argentina e o Cruise Industry News, dos Estados Unidos, além de inúmeros blogs, como os brasileiros Grande come il Mare, e Cruzeiros e Navios, e os portugueses Sergio@Cruises e Navios no Atlântico. E há não muito tempo duas fotos dos editores do blog foram eleitas entre as 10 melhores da temporada 2010/2011 pelo site Portogente. Além disso, entramos também, no segmento das revistas, com fotos publicadas nas últimas duas edições da revista america Cruise Industry News, uma das revistas com maior circulação com esse tema. Também firmamos acordo com a Revista Cruzeiros, de Portugal, para a publicação de fotos na próxima temporada. Aliás, essa, por ser em português é uma boa opção para o brasileiro que queira assinar uma revista sobre cruzeiros. E o nosso objetivo é justamente esse, divulgar cada vez mais o blog e as fotos, e consequentemente o Brasil, e o mercado de cruzeiros brasileiro!

Hanseatic ganha cores da Hapag-Lloyd.

|

Visual antes do dry-dock
Visual atual
O navio de expedições Hanseatic, esteve recentemente em doca seca em Hamburgo, na Alemanha, onde recebeu vários incrementos e novidades. As principais alterações são a revitalização de dois andares de cabines,  do restaurante buffet, da área da piscina e da sauna.

A área do buffet que agora se
chama "Bistro Lemaire"
Porém, a principal mudança no navio foi sua aparência, que agora passa a ser a mesma dos outros navios da Hapag-Lloyd, a chaminé laranja com o logotipo da companhia em azul, e a faixa no casco com as duas cores já citadas. Isto, porque até pouco tempo o navio ainda ostentava as cores de sua antiga companhia, que foi adquirida pela Hapag-Lloyd há alguns anos, a Hanseatic Tours. Com estas cores esteve em Belém em duas oportunidades há alguns meses, para ver fotos das escalas, e comparar as cores, clique aqui e aqui.

O navio de 8,178 toneladas acomoda até 188 passageiros, e foi construído em 1997. Ele é o único navio de expedição com 5 estrelas.

"Com o contrato de frete do navio extendido até 2018, nós optamos por unificar o visual da frota. Ainda assim, o lendário logo da Hanseatic Tours ainda será utilizado em produtos a bordo" explica Sebastian Ahrens, diretor da Hapag-Lloyd Cruises. 

Texto (©) Copyright Daniel Capella.
Imagens (©) Copyright Gilmar Leal e Hapag-Lloyd

 

©2013 Design por Ray Câmara