Diário de Bordo Diadema - Dia 1, Barcelona

|

Palma, um dos destinos visitados no cruzeiro
Com esse post iniciamos um novo tipo de especial no Portal WorldCruises.com, focado não só nos navios de cruzeiro, mas também nos destinos visitados por eles. A primeira embarcação retratada no Diário de Bordo é o Costa Diadema, em seu cruzeiro de 7 noites pelo Mediterrâneo. Nesse primeiro post, conheça um pouco do navio e do de Barcelona, porto onde embarcamos.

Desde que lançou o Costa Diadema no final de 2014, a Costa Crociere apelidou o seu novo navio de Regina del Mediterraneo - em português, a Rainha do Mediterrâneo. Projetado e construído na Itália, casa da Costa, o navio assumiu uma das principais rotas da companhia, o cruzeiro semanal pelo Mediterrâneo Ocidental.

Diadema atracado em Barcelona
Maior e mais novo navio da frota, o Diadema foi uma escolha natural para a rota e passou a realizá-la durante o ano todo. Ainda que o roteiro fosse realizado durante todo o ano antes, com o Diadema passou a acontecer regularmente no mesmo navio. Assim, a companhia transformou o seu novo navio em um sinônimo do popular roteiro - que normalmente escala Itália, Espanha e França - e quer criar uma nova lenda com a embarcação, a exemplo de seus navios do passado, que realizaram linhas regulares por décadas e fizeram fama que ainda perdura nos locais onde passavam sempre.

Embarcamos então em um desses roteiros no final do mês de novembro para conhecer a nova aposta da Costa, tanto no roteiro como no navio, que é o primeiro de uma nova classe. Inspirado no Carnival Dream, o Diadema é atualmente único na frota da Costa, e possui características que não estão presentes em outros navios da companhia. Um exemplo é a promenade externa, que circunda o navio e possui áreas externas de bares e restaurantes, além de espaço adicional para espreguiçadeiras, uma varanda que se projeta para fora da popa e algumas jacuzzis.

Bairri Gòtic de Barcelona durante a noite
Já o roteiro circunda a parte ocidental do Mediterrâneo. O ponto de partida é o porto de Savona, cidade na Ligúria, que fica próxima a Gênova, e é casa de um grande terminal de cruzeiros construído pela Costa no começo dos anos 2000. De lá, segue para outros dois portos italianos: La Spezia, também no norte da Itália, e Napoli, mais ao sul. Na Espanha, escala em Barcelona, capital da Catalunha, e Palma, capital de Mallorca. O cruzeiro ainda passa por Marselha, na França.

Apesar do principal porto de embarque e desembarque ser Savona, é possível embarcar em todos os portos de escala, também para um roteiro de uma semana, que acaba no mesmo porto onde o passageiro optou por embarcar. Nós optamos por embarcar em Barcelona, no último dia 23 de novembro.


Dia 1 - Embarque, Barcelona e Pré-Cruzeiro

Diadema chega a Barcelona por volta das 7h30m
O Costa Diadema atracou em Barcelona logo cedo, no dia 23 de novembro de 2015. Por volta das 07h30m o navio já estava realizando manobras de atracação no PalaCruceros, um dos vários terminais de cruzeiros do porto da cidade. Enquanto os passageiros embarcados em outros portos aproveitaram a manhã e o resto do dia para passear na cidade catalã, aqueles que haviam embarcado lá na semana anterior desembarcaram no período da manhã.

O embarque de novos passageiros estava previsto para começar as 14 horas da tarde, e encerrar-se apenas às 18 horas, uma hora antes da partida do navio. Após aproveitar a manhã ensolarada de fim de outono para fazer um último passeio por Barcelona, chegamos ao terminal de cruzeiros por volta das 12h30m.



O embarque no state-of-the-art PalaCruceros
Área de embarque do PalaCruceros
Varanda externa, que no verão é ocupada por mesas de um café
Particular, o PalaCruceros ocupa a área do terminal D do porto de Barcelona, e foi inaugurado em 2007. A construção foi feita pela Costa Crociere, através de sua matriz Carnival Corporation - que controla outras nove companhias de cruzeiro. Assim, as embarcações da Costa e da Carnival tem uso preferencial do prédio, que foi idealizado após o PalaCrociere de Savona, e foi projetado pelo Studio Vicini, da Itália, que também projetou o terminal da Costa na Itália.

O terminal ocupa uma estrutura de metal e vidro de dois andares, com estrutura para lidar não só com passageiros em trânsito, mas também para embarque e desembarque de passageiros. Além do suporte para todas as operações necessárias, o terminal oferece ao passageiro áreas de lojas, cafés, e duas varandas com vista para o porto de Barcelona. Também estão disponíveis escadas rolantes, balcões de informação e check-in e área para espera com sofás e poltronas.

Área de espera da área de embarque terminal
Esperar, no entanto, não foi algo que experimentamos em nosso embarque. Após deixar a bagagem em área própria ainda na área externa do terminal, subimos para a área de embarque no segundo andar (o térreo é voltado ao desembarque). Graças à eficiência da equipe e do terminal, ao número reduzido de passageiros embarcados ali (cerca de 800), e à senhas preferências do CostaClub, estávamos a bordo às 13 horas. Menos de meia hora depois da chegada ao terminal, e uma hora antes do horário previsto para o embarque começar!

Pré-Cruzeiro em Barcelona
Port Vell, área portuária revitalizada
Chegar em Barcelona a partir do Brasil mais comumente
envolve dois voos, totalizando cerca de 12 horas no ar.
A prática de ficar alguns dias antes do embarque na cidade de partida do cruzeiro é conhecida como pré-cruzeiro. Recomenda-se chegar ao menos um dia antes no local, no caso de embarque em portos distantes do ponto de partida do cruzeirista. Assim, evita-se problemas com possíveis atrasos nos voos para chegada no porto, e também cria-se a oportunidade de conhecer melhor a cidade. Antes de embarcar no Diadema, passamos duas noites em um dos vários hotéis de Barcelona, para conhecer ou rever a cidade (já que parte de nossa equipe conhece bem a cidade, enquanto outros ainda não haviam estado lá).

Além de um dos principais portos de cruzeiro do mundo, Barcelona é a capital da região autônoma da Catalunha, no nordeste da Espanha. Uma das maiores cidades do país ibérico, é uma região turística muito famosa, com dezenas de atrações e milhares de anos de história (os primeiros vestígios de vida na cidade datam de 5,500 anos AC). Mais popular cidade da Espanha, Barcelona é a décima cidade que mais recebe turistas no mundo, e terceira na Europa.

Park Guell com vista panorâmica da cidade e obras de Gaudí
Entre suas atrações, está o estádio do Barcelona FC, Camp Nou, que tem capacidade para 100,000 pessoas, e está aberto para visitações (a pagamento) durante praticamente todos os dias. Outro dos atrativos é o arquiteto Antoni Gaudí, que era natural da cidade, e deixou diversas obras espalhadas por ela. A mais famosa é a igreja Sagrada Família, que teve sua construção iniciada em 1883 e ainda não foi finalizada. O Park Guell é outra obra importante do famoso arquiteto na cidade, e abriga a construção que foi, outrora, sua casa.

Barcelona também possui praias, que são frequentadas mesmo no inverno. A mais famosa é a de Barceloneta, que é cercada por comércio, incluindo dezenas de restaurantes, bares e casas noturnas. Barceloneta fica na região do Port Vell, outra área turística interessante, principalmente para aqueles que gostam de áreas náuticas e próximas ao mar. Trata-se do antigo porto de Barcelona, que foi revitalizado para as Olimpíadas de 1992, realizadas na cidade, após décadas de abandono.

Praia de Barceloneta, com o moderno hotel W ao fundo. 
Na parte final da Rambla, o Port Vell é um complexo que incluí calçadões, uma espécie de parque, um shopping com restaurantes e cinemas e um aquário. Famoso cartão postal moderno da cidade, conta com uma ponte giratória, que se abre para a passagem de barcos e lanchas maiores para a marina. Dessa região, é possível embarcar em passeios de barco que levam para o porto e litoral da cidade. Alguns passam pela região dos terminais de cruzeiro, e, assim, pelos navios atracados por lá.

O transporte em Barcelona é organizado, e não há grandes problemas em locomover-se entre as diferentes áreas da cidade. Com preço não muito alto, os táxis são uma boa opção, entretanto, é possível se deslocar gastando menos. A cidade possui uma completa rede de metro e trens, que utilizamos amplamente durante nossa estada e é simples e barata (cerca de 2 euros o bilhete). Os ônibus também possuem linhas que passam por pontos turísticos e custam o mesmo que o metrô.

Sagrada Família ao fundo. 
Para ir ao aeroporto El Prat, que serve a cidade e fica a cerca de 17 km de seu centro, recomenda-se o AeroBus, que sai de hora em hora e tem como destino a Plaza de Catalnya, uma das principais da cidade, na região onde ficam vários hotéis (e não muito distante do porto). Enquanto o trecho custa cerca de 5 euros (por pessoa) no ônibus, a mesma viagem de táxi custa até 40 euros.

Noite a bordo e partida para Palma de Mallorca
Anoitece no porto de Barcelona
Música ao vivo no átrio central
O Costa Diadema partiu do porto de Barcelona pouco depois das 19 horas, seguindo em direção ao porto de Palma de Mallorca, nas Ilhas Baleares. A bordo, a animação e receptividade típica da Costa Crociere são marcas registradas, especialmente durante a noite. Entre as opções de entretenimento a noite estão o teatro, os bares com música ao vivo, uma cervejaria, uma enoteca, o casino, e mais tarde a balada.

No quesito comida, o jantar é a última refeição do dia e é servido em praticamente todos os restaurantes a bordo. São quatro principais, entre eles um em sistema self-service e um à la carte sem turno fixo. Além desses, estão disponíveis outros menores, de especialidades (não incluídos no valor do preço), como a Pizzaria Piazza, que serve pizzas italianas de todos os tipos.

Durante a noite, o navio seguiu em direção ao centro do Mar Mediterrâneo, para as Ilhas Baleares, outra região autônoma da Espanha. Conhecidas como Arquipélago Catalão devido a sua ligação com a região da Catalunha, essas ilhas tem como capital a cidade de Palma, que foi nossa escala no dia seguinte, e será tema da próxima edição de nosso Diário de Bordo Diadema. Aguarde!

Texto (©) Copyright Daniel Capella.
Imagens (©) Copyright Daniel Capella e Rui Agostinho. 

1 Comentário:

fodasaoleu disse...

dassss

Postar um comentário

 

©2013 Design por Ray Câmara