Os dez navios de cruzeiro de 2016 - Parte 2

|

Ovation of the Seas em construção na Alemanha
Piscina com raias olímpicas e 25 metros de comprimento
estará disponível a bordo do Mein Schiff 5
Na parte dois de nosso especial sobre os navios de cruzeiro que serão inaugurados em 2016, apresentamos os outros cinco navios de cruzeiro que começarão a navegar até o final desse ano. Enquanto na primeira parte levamos aos nossos leitores mais detalhes do AIDAprima, do Koningsdam, do Viking Sea, do Harmony of the Seas e do Carnival Vista, nessa trazemos o Ovation of the Seas, o Mein Schiff 5, o Seven Seas Explorer, o Genting Dream e o Seabourn Encore. 


Números dos navios de 2016, pela Cruise Industry News.
Tonelagem média: 114,198 toneladas brutas;
Custo médio: US $779 milhões
Capacidade de passageiros média: 2,755 passageiros
Maior navio: Harmony of the Seas (227,625 toneladas)
Menor navio: Seabourn Encore (40,350 toneladas)

Para ler a introdução sobre a construção de navios de cruzeiro, e conhecer os outros cinco navios que serão lançados em 2016, clique aqui


Ovation of the Seas - Royal Caribbean International

Um dos navios mais aguardados de 2016 é o terceiro da classe Quantum, da Royal Caribbean International (RCI). Em construção na Alemanha, o Ovation of the Seas deve ser inaugurado em meados de abril de 2016, assim como o gigante Harmony of the Seas, o outro navio que a Royal Caribbean inaugurará esse ano. Diferentemente de seus gêmeos anteriores, o Ovation não fará temporada na Europa ou Caribe, em vez disso, seguirá do estaleiro para a Ásia, onde navegará nos verões locais. Seu porto-base será a cidade de Tianjin, na China, país que já é a casa do Quantum of the Seas e outros navios da RCI. 

North Star 
Antes, no entanto, realiza dois cruzeiros a partir de Southampton, na Inglaterra, e faz posicionais que o levarão ao Oriente. Uma vez lá, fará roteiros destinados ao mercado chinês, principalmente roteiros de 3 a 5 noites para a Coréia e Japão. A temporada inaugural chinesa acaba em novembro, quando o navio segue para a Oceania, e promove a estréia da classe Quantum nos roteiros da Austrália e Nova Zelândia. Até meados de janeiro, fica baseado em Sydney, na Austrália, servindo o mercado australiano, onde a Royal Caribbean terá ainda outros quatro navios. Será a primeira vez que uma companhia de cruzeiros moderna leva um navio recém inaugurado para a Ásia e a Austrália; mercados que tradicionalmente recebem navios menores e mais antigos. 

Show no Two70°; o cenário florestal ao fundo, é na verdade
uma grande parede de vidro que se transforma em tela e
projeta imagens durante os espetáculos. 
Apresentado pela Royal Caribbean como um navio inteligente e tecnológico, o navio traz todas as atrações dos outros navios da classe Quantum. Entre elas, o Bionic Bar, um bar onde os bartenders são robôs e os cardápios disponibilizados em iPads. Outra novidade exclusiva dos navios dessa classe é o lounge Two70°, que tem esse nome devido a sua posição na popa, que possibilita uma visão com ângulo de 270° a partir da traseira do navio. Com dois andares, o espaço tem paredes de vidro, e é palco de shows que se utilizam de realidade virtual e TVs de LED robóticas. O navio também conta com o North Star, uma cápsula suspensa por um braço hidráulico que leva os passageiros para fora do navio, um simulador de paraquedismo, dezenas de restaurantes, e mais. 


Mein Schiff 5 - TUI Cruises

O grupo Royal Caribbean inaugurará não só os dois navios para sua marca principal, mas também um para sua joint-venture alemã, a TUI Cruises. Em construção na Finlândia, o Mein Schiff 5 é o terceiro navio de uma classe projetada exclusivamente para a companhia, que é administrada também pelo grupo TUI. Com 97 mil toneladas. capacidade para cerca de 2,500 passageiros em ocupação dupla e 295 metros de comprimento, será o maior da frota, junto a seus dois gêmeos. A companhia ainda opera dois outros navios, o Mein Schiff 1 e 2, transferidos da Celebrity Cruises há alguns anos. 


Sala de Concerto, área única em navios de cruzeiro
Com proposta diferenciada, o Mein Schiff 5 foi planejado para oferecer uma experiência de bem-estar a seus passageiros. Isso se reflete nas características do navio, que possui uma ampla área de Spa e Fitness, uma quadra com tamanho oficial e uma grande piscina com raias olímpicas de 25 metros de comprimento. A atmosfera a bordo é casual, e a companhia trabalha com o conceito de tudo incluído nos bares e restaurantes, que possuem decoração sofisticada e simplista. A língua principal a bordo é o alemão, e o foco da companhia é o mercado desse país. Os roteiros, no entanto, acontecem na maior parte dos destinos de cruzeiros no mundo. O Mein Schiff 5 navegará, em sua temporada inaugural, no Norte da Europa, no Mediterrâneo e no Caribe.

Diamante na popa, com seu formato inusitado.
Além das atrações relacionadas ao bem-estar, destacam-se no Mein Schiff 5 as opções de alimentação; são vários restaurantes, incluindo diversos de especialidade, a maior parte deles incluídos no valor do cruzeiro. Dois deles, a churrascaria Surf & Turf, e o clássico Richards se localizam em uma área na popa conhecida como Diamante. Um átrio de três andares - que conta também com um Coffee Lounge - localizado na popa e que possui uma estrutura de vidro em formato de um diamante lapidado. Com relação ao entretenimento, o navio traz um diferencial quase exclusivo. Além de um teatro de três andares, os Mein Schiffs contam com um salão de concerto clássico. Trata-se de uma área projetada para ter acústica perfeita, que foi elaborada em conjunto com casas de opera de terra. Lá, a companhia promete promover concertos clássicos, shows de jazz e peças teatrais, além de reproduzir filmes em um telão retrátil. Tudo isso, diz a companhia, com "uma experiência de som inesquecível".

Seven Seas Explorer - Regent Seven Seas

Além do maior e dos mais tecnológicos, 2016 também deve ser o ano da inauguração do mais luxuoso navio de cruzeiros do mundo. Pelo menos isso é o que promete a Regent Seven Seas (RSSC), que inaugura seu Seven Seas Explorer em julho. Parte do grupo Norwegian Cruise Line, a Regent Seven Seas é uma companhia especializada em cruzeiros de alto luxo, com tudo incluído no preço do cruzeiro - até mesmo voos e excursões terrestres em alguns casos. Nesse ano, a marca inaugura um novo navio pela primeira vez em mais de dez anos. A frota, composta atualmente por três navios, não vê uma novidade desde 2003, quando o Seven Seas Voyager foi inaugurado. 

Restaurante Compass Rose, um dos vários do navio
Será também o primeiro navio da companhia construído pelo estaleiro estatal italiano Fincantieri. Os três da frota atual vieram do também italiano T. Mariotti, de Gênova, e do francês Chantiers de l'Atlantique. O Explorer é um protótipo, consideravelmente diferente dos outros navios da frota, e por enquanto único, já que não teve gêmeos encomendados até o momento. Com 54,000 toneladas e capacidade para até 738 passageiros, o navio viajará por todo o mundo, e segundo a RSSC será o mais luxuoso já construído. Fica claro que a companhia está falando sério quando faz essa afirmação, quando se leva em consideração o valor do navio. O Explorer foi encomendado por 450 milhões de dólares. O Koningsdam, navio com quase o dobro do tamanho, e que operará para a Holland America Line em cruzeiros premium, custou "apenas" 70 milhões de dólares a mais. 

Spa particular dentro da Regent Suite e exclusivo para os
passageiros desta. 
O navio terá apenas cabines com varanda, que serão mais largas que as que vem sendo instaladas nos navios de cruzeiro moderno. Segundo a companhia, não basta aumentar o tamanho da cabine em direção ao interior do navio e criar uma cabine comprida e de varanda pequena. É importante aumentar a acomodação também em sua outra dimensão, deixando a mais comprida e mais larga, consequentemente com uma varanda também maior. Dentro desse conceito, o navio chega a ter uma cabine que se estende por toda sua largura, com varandas para a proa, e as duas laterais da embarcação. Chamada Regent Suite, essa cabine possui até mesmo um pequeno Spa particular em suas dependências! São ao todo 271m² de área privada interna, e mais 89m² de varanda particular disponíveis para os ocupantes dessa suíte. O Seven Seas Explorer também se destaca pelo luxo de sua decoração, pela quantidade de restaurantes a bordo, e pela qualidade do serviço oferecido aos passageiros. 

Genting Dream - Dream/Star Cruises

Os outros dois navios a serem inaugurados mais pro final de 2016 também são luxuosos, mas em diferentes medidas. O Genting Dream, que começará a navegar em outubro, por exemplo, oferecerá uma experiência premium e upper-premium na Ásia. Será a primeira vez que uma empresa da região terá um navio premium projetado com o mercado asiático em mente. O navio será o primeiro de uma nova companhia, a Dream Cruises. A Dream será uma marca da Star Cruises, que é a companhia que tinha inicialmente encomendado a embarcação ao estaleiro Meyer Werft da Alemanha. A princípio, o navio, que empresta características dos gêmeos mais recentes da Norwegian Cruise Line (NCL), se chamaria Genting World, e operaria no segmento de mercado standard. A NCL e a Star possuem um acionista em comum, a Genting Hong Kong, daí a semelhança. 

Piscina privativa para hóspedes das suítes da
categoria Dream Mansion.
Estudando o mercado, a companhia decidiu, no entanto, que talvez fosse mais interessante inovar com um produto diferenciado, que não chega a ser considerado luxo, mas que é superior ao oferecido no navio de cruzeiro comum. A idéia é oferecer um produto premium, como os cruzeiros da Celebrity Cruises e da Princess Cruises, por exemplo, mas customizado ao gosto do passageiro asiático. Assim surge a Dream Cruises, que operará, a princípio com o Genting Dream e mais um navio, em roteiros pela Ásia, focando principalmente no emergente mercado chinês. Além de cruzeiros premium, o Dream oferecerá também cruzeiros ainda mais luxuosos com uma categoria de cabines diferenciada chamada Dream Mansion, que dá acesso a uma área exclusiva do navio, e serviços de nível ainda mais alto; algo semelhante ao conceito The Haven da NCL e ao Yatch Club da MSC. 

Salão de Karaoke, outro diferencial de um navio asiático
como o Genting Dream
Em seu site, a companhia frisa a qualidade de seus shows e entretenimento, a capacidade de oferecer atividades para todas as gerações, e a culinária a bordo. Além de ressaltar suas origens asiáticos, que influenciaram no design do interior do navio. Com aproximadamente 150,000 toneladas e capacidade para 3,360 em ocupação dupla, o Genting Dream terá 2,000 tripulantes servindo seus passageiros em áreas como uma promenade externa de mais de 600 metros, 730 m² de áreas de vendas e um casino de dois andares, além de uma área de 4,000 m² dedicadas ao Spa e outras atividades voltadas à bem-estar e saúde. Essas três atrações - lojas, casino e Spa - estão entre as mais apreciadas pelo passageiro asiático. Com relação a cabines, mais de 70% terão varanda privativa, e 20% serão suítes. 

Seabourn Encore - Seabourn Cruises

O último navio a entrar em operação em 2016 será o Seabourn Encore, da Seabourn Cruise Line. A marca, que é parte do grupo Carnival, opera cruzeiros de luxo e encomendou a embarcação em dezembro de 2013 e seguiu a venda de três de seus navios para a Windstar, outra companhia de cruzeiros. Os três navios negociados, construídos entre 1988 e 1992, possuíam capacidade para cerca de 200 passageiros cada em ocupação dupla. O novo terá capacidade para 450 passageiros e está sendo construído no estaleiro Fincantieri, será uma evolução dos três inaugurados pela companhia recentemente, Seabourn Quest, Seabourn Sojourn e Seabourn Odyssey.

A piscina principal
De pequeno porte e luxuoso, o Encore navegará em roteiros ao redor de todo o mundo, com cruzeiros focados no mercado norte-americano e internacional. Em sua temporada inaugural, fará viagens no Mediterrâneo, Ásia, Oceania e Oriente Médio. Todas as cabines do navio são suítes com varanda privativa e possuem no mínimo 28 m² de área interna, mais 6 m² da varanda. Além de muito espaço, os passageiros terão serviço de alto nível garantido pelo número elevado de tripulantes a bordo; a Seabourn normalmente possui uma média de aproximadamente um tripulante por passageiro. Em companhias de cruzeiro comum, a média chega a um tripulante para 3,5 passageiros. 


Um dos restaurantes, disponível para hóspedes das suítes
O Encore será decorado pelo celebrado arquiteto Adam D. Tihany, que é especializado em navios e hotéis, e terá interiores com elementos de design modernos e inovações, que segundo a companhia são compatíveis com sua reputação, de elegância sóbria. Anteriormente denominada The Yatchs of Seabourn, a Seabourn se firmou como uma operadora de cruzeiros em grandes yatchs de luxo, que navegavam por destinos famosos e tradicionais, mas também por áreas exóticas e remotas. Com a construção de novos navios, a frota deixou de ser composta por super yatchs, e passou a possuir navios de pequeno porte, que continuam, no entanto, com a mesma atmosfera e estilo dos antigos yatchs. O Encore manterá essa sina, e será também o maior navio da frota, com dimensões 26% maiores que os dos navios atuais. Em 2018, ganhará um gêmeo, Seabourn Ovation.

Texto (©) Copyright Daniel Capella.
Imagens (©) Copyright Royal Caribbean, TUI, RSSC, Dream Cruises e Seabourn. 

0 comentários:

Postar um comentário

 

©2013 Design por Ray Câmara