Desde os Estaleiros...

|

United States, que pode voltar a operar como navio de luxo
Empress, já of the Seas, em estaleiro na Europa
As últimas semanas foram agitadas nos estaleiros ao redor do mundo. Enquanto a Crystal Cruises anunciou um plano que pode levar à reativação do decano United States (foto a cima), o Empress (ao lado) segue em sua transformação em Empress of the Seas, e três companhias encomendaram navios - a Ponant, a Crystal e a Scenic Tours. Essa última, entrará no mercado de cruzeiros marítimos com sua nova embarcação, que combinará luxo com expedições. Na Ásia, o AIDAprima foi finalmente, após mais de um ano de atraso, entregue a seu armador, e mais detalhes de seu gêmeo foram revelados.


Ponant encomenda quatro novos navios

Perspectiva artística da nova classe de navios da Compagnie du Ponant
Após inaugurar quatro navios da classe Boreal entre 2010 e 2015, a Ponant entrou em acordo hoje com um estaleiro para a construção de quatro embarcações de uma nova classe. A companhia francesa assinou uma carta de intenção, que precede um contrato definitivo, com o estaleiro VARD, subsidiário norueguês do italiano Fincantieri para a construção dos quatro navios, que são protótipos.

O primeiro novo navio será entregue em 2018, e terá capacidade para cerca de 250 passageiros, acomodados em 92 cabines. Assim como os outros três navios encomendados, a primeira embarcação terá 128 metros de comprimento e uma tripulação composta por 110 passageiros. Em linha com as expedições oferecidas pela companhia, os navios terão casco quebra-gelo e, segundo a Ponant, serão de manobrabilidade avançada, para que possam escalar locais onde os navios maiores não podem.

Crystal Cruises irá construir yatch de 25,000 toneladas
Novo yatch da Crystal, que terá capacidade para 200 passageiros
Após anunciar seu plano homérico de expansão com quatro novos navios de cruzeiros e a entrada no mercado de viagens aéreas, moradias marítimas e yatch cruising, a Crystal Cruises anunciou outro investimento essa semana. A companhia de luxo, que agora é parte do grupo Genting Hong Kong, irá construir um novo "yatch" de 25,000 toneladas. Com capacidade para 200 passageiros, a embarcação operará para a sub-marca de yatch cruises da companhia, e será projetado com casco corta-gelo e outras características específicas para operação em áreas polares.

A construção acontecerá no estaleiro alemão Lloyd Werft, que recentemente também comprado pelo grupo Genting Hong Kong, e terminará em agosto de 2018. Será batizado Crystal Endeavour, em homenagem ao HMS Endeavour, o navio de James Cook, que descobriu a Austrália e a Nova Zelândia há cerca de 250 anos. A Crystal Yatch Cruises começou há operar no final de 2015, com o Crystal Esprit, um pequeno yatch com capacidade para 62 passageiros anteriormente nomeado MegaStar Taurus.

Scenic Cruises anuncia construção de navio e entrada no mercado de cruzeiros marítimos
Scenic Eclipse
Operando cruzeiros fluviais na Europa e Ásia, a Scenic River Cruises entrará no mercado de cruzeiros marítimos em 2018. Para isso, a companhia encomendou a um estaleiro croata uma embarcação especificamente projetada para viagens oceânicas. Com 16,500 toneladas, o mega-yatch será chamado Scenic Eclipse, e operará viagens de alto luxo, no segmento de yatch cruising. A embarcação terá 165 metros de comprimento por 21 de largura.

Com capacidade para 500 passageiros, o navio terá 6 estrelas de classificação. Além do luxo, a embarcação foi projetada também com cruzeiros de expedição em mente, e assim, terá casco quebra-gelo e outras características que o farão capaz de viajar no Ártico e na Antártica. Com roteiros ao redor de todo o mundo, a companhia promete que em seu novo navio, pela primeira vez, o luxo de um yatch se combinará com a descoberta de expedições em locais remotos.

AIDAprima é, enfim, entregue à AIDA no Japão
AIDAprima deixa o Japão rumo a Alemanha
Com mais de um ano de atraso, o AIDAprima foi finalmente entregue a seu operador, a AIDA Clubschiff, da Alemanha. Encomendado ainda em 2011 junto ao Costa Diadema, o navio tinha previsão de entrega inicial para março de 2015, e após consecutivos atrasos na data, foi finalmente finalizado pelo Mitsubishi Heavy Industries, que o construiu em suas instalações em Nagasaki, Japão.

Agora posse da AIDA, a embarcação - a maior da frota com 125,000 toneladas e capacidade para cerca de 3,300 passageiros - segue para a Alemanha, onde será inaugurado em maio, durante as comemorações de aniversário da cidade de Hamburgo, porto que será sua base. Uma vez inaugurado, o navio, que foi projetado para navegar também em regiões mais frias, inicia um roteiro de uma semana por cidades do Norte da Europa. Com escalas na França, Bélgica, Holanda, Inglaterra e Alemanha, o roteiro será realizado o ano inteiro, e receberá a equipe do PortalWorldCruises.com em novembro,

Em reforma, Empress entra em operação pela Royal Caribbean no próximo mês
Em estaleiro, já com o casco branco
Depois de deixar a frota da Pullmantur no último mês de fevereiro, o Empress prepara-se para retomar suas operações pela Royal Caribbean International (RCI). Após finalizar seu último cruzeiro em Santos pouco após o carnaval, a embarcação seguiu diretamente para a Europa, com apenas escalas técnicas no caminho. Uma vez no velho continente, entrou em doca-seca em Cádiz, Espanha, para ser adaptado a sua nova função na RCI.

Comissionado pela própria Royal Caribbean em 1990, voltará a se chamar Empress of the Seas, e operará, até julho, mini-cruzeiros pelo Caribe com partida de Miami. A primeira viagem pela companhia norte-americana nessa nova fase está marcada para meados de abril. Apesar do investimento na atualização e adaptação do navio, seu futuro está em aberto após esse período. Especula-se que, caso não possa ser empregado em roteiros que visitem a ilha de Cuba, o Empress poderia ser vendido a um terceiro. Após prometer grandes mudanças para o navio, como o acréscimo de piscinas e toboáguas, a RCI não divulgou os trabalhos que estão sendo realizados a bordo. Há indícios, no entanto, de que a reforma não é tão ampla quanto inicialmente divulgado.



Novo navio da AIDA será nomeado AIDAperla e navegará no Mediterrâneo
O gêmeo do AIDAprima, encomendado em 2011 ao estaleiro japonês Mitsubishi de Nagasaki, será inaugurado em 2017, confirmou a AIDA. O navio tinha entrega prevista, inicialmente, para 2016, mas assim como seu gêmeo, será inaugurado com um ano de atraso. A companhia alemã do grupo Carnival anunciou também que o navio se chamará AIDAperla, e operará durante o ano inteiro no mar Mediterrâneo Ocidental.

Com 125 mil toneladas e capacidade para 3,300 passageiros, o navio tem um projeto que privilegia cruzeiros também em regiões mais frias, como o Mediterrâneo durante o inverno. Navegando pela parte Ocidental do mar europeu, o roteiro começará em Palma de Mallorca, tradicional porto-base da AIDA no Mediterrâneo, e escalará Barcelona, Civitavecchia, Livorno e um porto da Córsega a ser confirmado. Também será possível embarcar em Bacelona. A companhia não se comprometeu com uma data exata para o início da operação do navio, limitando-se a dizer 2017.


Crystal Cruises estuda plano para relançar SS United States como navio de cruzeiro
A Crystal Cruises anunciou no mês passado um plano ousado para reativar o SS United States e operá-lo como um navio de cruzeiros de luxo. Inaugurado em 1952 e desativado desde 1969, o transatlântico é um dos últimos exemplos de sua era ainda flutuando, e encontra-se imobilizado na Filadélfia desde a década de 90. Antes, ficou atracado sem função em outros portos americanos e europeus, enquanto foi alvo de suscetivos planos fracassados para que voltasse a navegar.

Hoje propriedade da United States Conservancy, associação sem fins lucrativos que tem como objetivo preservar o navio por conta de sua importância histórica, o navio encontra-se em estado deteriorado, e não possui acabamento interior. Seus interiores foram desmontados nos anos 80, em uma tentativa de venda não sucedida do navio para a sucata. Agora, a Crystal assinou um contrato com a Conservancy em que se compromete a assumir os custos de manutenção da embarcação por 8 meses, enquanto elabora um estudo aprofundado da viabilidade de colocar o navio em operação novamente. A companhia de cruzeiros de luxo pretende reconstruir parte do casario e operar o United States como um navio boutique de alto padrão em cruzeiros ao redor do mundo. Uma das vantagens do navio, é, por sua construção ter acontecido nos EUA, a possibilidade de um registro norte-americano, o que o dá a possibilidade de realizar cruzeiros de cabotagem com escala apenas em portos estadunidenses.

Texto (©) Copyright Daniel Capella.
Imagens (©) Copyright Cruise Industry News, Ponant, Crystal, Scenic, AIDA, desconhecido e Lowlova.  

0 comentários:

Postar um comentário

 

©2013 Design por Ray Câmara