Navios por Dentro: ms Koningsdam

|

Dining Room, com seus dois andares
Na mais recente edição da rubrica Navios por Dentro, trazemos o novíssimo Koningsdam, recém saído do estaleiro Fincantieri, onde foi construído, na Itália. Maior e mais nova unidade da frota da Holland America Line, o navio inaugura uma nova classe para a companhia de cruzeiros premium, e também uma nova era, com interiores mais modernos e diferenciados. Conheça o navio, sua história, e também muito da história da Holland America Line no retorno neste retorno da nossa série, que já retratou dezesseis navios desde sua introdução em 2013.
O Koningsdam conta com um casino...
...que tem seu próprio bar...
...além de mesas de jogo e slot machines.
Sem novos navios desde 2010, quando inaugurou o Nieuw Amsterdam, a Holland America Line (HAL) recebeu recentemente o Koningsdam em sua frota há cerca de dois meses. Assim como quase todos os navios da companhia, a nova embarcação  foi construída na Itália, pelo estaleiro estatal Fincantieri, que possui várias instalações pelo país mediterrâneo. O Koningsdam tomou forma na unidade de Marghera, cidade portuária na área industrial da histórica Veneza, e foi entregue à companhia, que é parte do grupo Carnival, em meados de março.
O navio conta também com o Lounge Crow's Nest, na proa. 
O espaço na proa é panorâmico, e uma presente em todos os navios da frota da HAL. 
Mais incomum na frota da companhia, é a sorveteria Gelato, localizada na área da piscina.
Protótipo de uma nova classe, chamada Pinnacle, o navio passou a ser não só o mais novo, mas também o maior da frota, com pouco mais de 99 mil toneladas e capacidade para aproximadamente 2,650 passageiros. Com nome que homenageia o atual rei holandês, Willem-Alexander, o Koningsdam inaugura uma nova classe que terá, ao menos, mais uma embarcação, e representa também uma nova era para a Holland America Line.
Um dos vários restaurantes do navio é o Canaletto, especializado em culinária italiana. 
Na área gastronômica, o Koningsdam possui o Culinary Arts Center.
Aqui, aulas e workshops culinários (e também de outras naturezas) acontecem durante os cruzeiros. 
Com quase 150 anos de história, a HAL é hoje uma das marcas upscale do grupo Carnival Corp, que controla dez cruise lines, e é o maior conglomerado de cruzeiros do mundo. Originária da Holanda, a companhia é sediada desde 1989 em Seattle, nos EUA. No ano em que deixou a Europa, passou a ser propriedade da Carnival Corp, e hoje lidera uma subdivisão do grupo que inclui também a Seabourn, a Princess Cruises e a P&O Australia. Operando uma frota de 14 navios, oferece cruzeiros premium, tradicionais, com roteiros mais longos, ao redor de todo o mundo, mas com foco especial no Alaska, que atualmente é seu principal mercado.
Já o restaurante principal chama-se apenas Dining Room, e tem dois andares de altura. 
A decoração lembra a dos restaurantes da classe Solstice, da Celebrity Cruises. 
É um dos maiores espaços a bordo, com um grande vão aberto. 
O navio conta também com um spa e uma academia
completos.
No entanto, quando surgiu, a companhia prestava um serviço bem diferente. Fundada em 1873, a companhia tinha sede no porto de Rotterdam, na Holanda (em prédio que ainda existe e serve hoje como hotel), e operava linhas comerciais, a princípio para passageiros, mas depois também para carga entre o Norte da Europa e a América do Norte. A empresa surgiu da reorganização de uma empresa anterior, a Plate, Reuchlin & Co, tinha como principal linha a que partia de Rotterdam e chegava em Nova Iorque após cerca de 15 dias, e foi responsável pelo transporte de milhares de imigrantes holandeses para a América.
Grand Dutch Café
Localizado na área do átrio, este café possui decoração temática. 
Um dos lobbies do navio, com toda sua elegância (e mármore).
Após acrescentar outras linhas e outras regiões a seu catálogo (incluindo até mesmo a América do Sul), a HAL passou a oferecer também viagens de lazer em 1895, sendo uma das pioneiras na realização de cruzeiros. Contemporânea de célebres companhias de navegação como a Cunard Line, a White Star Line e a Italian Line, a Holland America teve também seus navios utilizados militarmente nas duas grandes guerras, perdendo mais da metade de sua frota entre 1939 e 1945.
O átrio central é menor do que em outros navios de mesmo porte, com apenas três decks de altura. Entretanto, possui uma grande escultura de metal. 
Detalhe
Após inaugurar o famoso Rotterdam (V) em 1959, e o advento das viagens aéreas, a companhia se viu obrigada a encerrar suas linhas regulares no começo dos anos 1970, passando a dedicar sua frota de passageiros apenas a cruzeiros. Ainda na década de 70, a divisão que operava carga foi vendida, após a administração da companhia concluir que não era possível focar nos dois negócios simultaneamente. Assim, a reinventada HAL conseguiu capital para investir em sua frota e transformar sua operação para os novos tempos que chegavam.
Área do Music Walk/Explorer's Bar.
Lincoln Center Stage
O navio possui duas áreas de piscina, a principal é a Lido Pool.
Investindo na reforma de sua frota de transatlânticos de linha, e expandindo a frota com novas construções e navios de segunda mão, a companhia passou a tentar se fortalecer em novos mercados, como o norte-americano. Destinos novos também estavam na agenda, da empresa, e o Alaska acabou sendo uma das grandes apostas da HAL. Percebendo uma oportunidade, a companhia acabou adquirindo outros operadores no Alaska, e controlando também hotéis e organizadores de excursão, para assim, oferecer um pacote completo de férias completo nessa região dos EUA.
Com cobertura retrátil, a piscina possui um grande telão onde são exibidos filmes e outros vídeos. 
Assim, o Alaska acabou se tornando o principal mercado da HAL, em uma rentável operação, que levou a companhia a se expandir e, até mesmo, adquirir outras cruise lines nos anos 80: a Windstar Cruises e Home Lines. No final dos anos 80, no entanto, com o advento das companhias de cruzeiro populares, a Holland America vinha enfrentando dificuldades em atrair novos clientes, e acabou sendo adquirida pela Carnival Cruise Line em 1989. Em franca expansão, a Carnival buscava entrar também no mercado de cruzeiros premium, e contava com dinheiro em caixa, após abrir capital na bolsa de valores de Nova Iorque em 1987.
A outra piscina fica na popa, e se chama Sea View Pool
O lido conta com uma piscina, e duas jacuzzis, além de ampla área externa e dezenas de espreguiçadeiras. 
Sea View Bar, na popa. 
Assim, a HAL foi, mais uma vez, capaz de se reinventar, modernizar sua frota, melhorar o padrão de sua oferta e aperfeiçoar seu negócio, chegando aos dias atuais como uma das maiores companhias de cruzeiro no segmento premium. Oferecendo uma experiência de cruzeiro mais tradicional, a Holland America inaugurou oito navios desde o começo dos anos 2000, e parece agora se reinventar mais uma vez com o novo Koningsdam.
Na área das piscinas, fica o Lido Market, o restaurante self-service do navio. 
Um dos balcões de comida do Lido Market. 
No andar superior, o Panorama Bar overlooks a piscina. 
Mais moderno e arejado, com decoração clara e contemporânea, o navio foi projetado para apelar também a passageiros mais jovens, com diversas opções gastronômicas e de entretenimento. A embarcação parece marcar a entrada definitiva da HAL no século 21, unindo o tradicional - marca da companhia, ao luxo contemporâneo, oferecido por companhias premium concorrentes como a Celebrity Cruises.
Voltando ao interior do navio, este é o Ocean Bar. 
Próximo ao átrio, o espaço funciona como um pequeno Piano Bar. 
Outro dos restaurantes de especialidade é o Pinnacle Grill.
Inaugurado em março, o Koningsdam realizou uma pequena temporada inaugural no Mediterrâneo, com embarques em Civitavecchia, antes de seguir para o Norte da Europa, onde operará até meados do outono europeu, e será batizado ainda este mês, no porto de Rotterdam. De lá, segue para o Caribe no inverno, operando roteiros de 7 a 14 noites a partir do porto de Fort Lauderdale, nos EUA.
O principal salão a bordo é o Queen's Lounge, uma espécie de ballroom vintage.
Trata-se do espaço mais tradicional a bordo, com dois andares. 
Mais um restaurante de especialidade, o francês Sel de Mer. 
Rui Agostinho esteve a bordo na escala inaugural em Lisboa, que foi escala do roteiro posicional entre o Mediterrâneo e o Norte da Europa. Agradecemos à James Rawes e ao Lisbon Cruise Terminal - LCT pela oportunidade de conhecer a embarcação. A viagem que o levou à capital portuguesa, partiu de Civitavecchia no último dia 9, e tem 11 noites. O destino final é Rotterdam, onde o navio atraca no próximo dia 19. Além de Lisboa, o Koningsdam passa por Cartagena, na Espanha; Gibraltar, no Reino Unido; Cádiz e Vigo, na Espanha; e Cherbourg e Le Havre, na França, antes de atracar na Holanda.
Contrabalanceando o Queen's Lounge, o World Stage é o moderno teatro do navio. 
Com formato em arena, é o maior espaço de entretenimento do navio, e diferente de todos os teatros da frota. 
Mesmo em outras companhias, o formato não é comum. 
Texto (©) Copyright Daniel Capella.
Imagens (©) Copyright Rui Agostinho.
Placa do estaleiro marca o ano, o número da construção e o local de construção do navio.
Bandeira da Holanda - o navio é registrado no porto de Rotterdam - sobre a popa. 

0 comentários:

Postar um comentário

 

©2013 Design por Ray Câmara