Cascos da Norwegian Cruise Line passam a ser telas para artistas consagrados

|

Norwegian Getaway e sua obra de David "Lebo" Le Batard
Com a divulgação de mais uma arte de casco da Norwegian Cruise Line, relembramos a história das obras nos navios da companhia. A companhia norte-americana começou a adornar seus navios dessa forma há mais de uma década, mas só recentemente passou a utilizar obras mais elaboradas de artistas consagrados. Conheça mais dessa história.

Norwegian Sun, com o padrão anterior, básico
A Norwegian Cruise Line passou a decorar os cascos de seus navios no começo dos anos 2000. A princípio, os adornos se resumiam a padrões gráficos que refletiam o nome do navio. Mais simples, os padrões eram elaborados pela própria equipe de marketing da companhia em parceria com os estaleiros e, em geral, ficavam apenas na área da proa.

No Norwegian Epic, padrão simples e colorido
Isso mudou em 2012, quando a companhia convidou o artista norte-americano Peter Max para elaborar a arte no casco do Norwegian Breakaway, primeiro navio da nova classe que leva o mesmo nome. Projetando o navio para realizar cruzeiros de Nova Iorque durante todo o ano, a NCL pediu que Max refletisse também este fator na peça que viria a elaborar.

Lendário e ícone pop, o artista revelou em abril daquele mesmo ano sua obra, que tem traços psicodélicos, e incorporou linhas típicas de Nova Iorque, com a estátua de liberdade (ou parte dela) em destaque na proa. Foi a primeira vez que um artista de renome trabalhou na arte de um navio da companhia, e também a primeira vez que as cores ganharam praticamente todo o casco.
Norwegian Breakaway em NY

O Norwegian Breakaway foi inaugurado em 2013.

Para o gêmeo do navio, Norwegian Getaway a companhia convidou David Le Batard, conhecido como Lebo. Concebido como o "navio de Miami", o Getaway foi projetado para refletir a cidade do sul da Flórida, de onde realizaria cruzeiros durante todo o ano. A companhia optou por Lebo também por suas origens, já que o artista é de Miami.

Detalhes no casco do Breakaway
O resultado foi uma obra com temática tropical ainda maior que a presente no gêmeo Breakway, com uma grande sereia estilizada, segurando o sol, além de pelicanos e palmeiras. Na época, 2014, a companhia disse que a obra era perfeita para o navio, e refletia bem sua vocação tropical, de cruzeiros ao Caribe durante todo o ano.

No ano seguinte, a companhia inaugurou o Norwegian Escape, primeiro navio da classe Breakaway Plus. Para este navio, também projetado para cruzeiros ao Caribe, a companhia resolveu convidar um artista conhecido por sua ligação com a vida marinha, Guy Harvey.

Também mergulhador, cientista e ativista, Harvey criou uma obra em tons de azul, com vários animais marinhos. O destaque é um grande peixe-espada quase alinhado com a proa, e cercado por tartarugas-marinhas, pelicanos, peixes e arraias.

Mais recentemente, o artista incluído na lista de contribuidores da companhia foi o chinês Tan Ping. Um dos designers dos projetos das Olimpíadas de Pequim em 2008, Ping foi chamado para criar uma obra para o Norwegian Joy, mais recentemente navio da companhia, que será inaugurado em 2017, e será dedicado ao mercado de cruzeiros chinês.

O resultado foi divulgado esta semana pela NCL. Para ver mais sobre esse mais recente projeto, clique aqui.

Texto (©) Copyright Daniel Capella.
Imagens (©) Copyright NCL e Daniel Capella (Epic).

1 Comentário:

Luiz Bianchi disse...

Chamar isso de navio é um sacrilégio!!!!

Postar um comentário

 

©2013 Design por Ray Câmara