Royal Caribbean proíbe celular Galaxy Note 7 a bordo de sua frota

|

Os passageiros do segundo maior grupo de cruzeiros do mundo não poderão embarcar com o modelo de smartphone da Samsung. Em processo de recall, o aparelho se incendeia com facilidade, e foi banido de diversos ambientes, inclusive de aviões nos EUA, após resolução da Federal Aviation Administration (FAA). 

O grupo Royal Caribbean, do qual fazem parte as marcas Royal Caribbean International, Celebrity Cruises, Azamara Club Cruises, Pullmantur Cruceros, CDF - Croisières de France, TUI Cruises e SkySea Cruises, divulgou nota proibindo o embarque de passageiros com o smartphone Galaxy Note 7 nos navios de sua frota.

Segundo o comunicado, o aparelho não será permitido a bordo de nenhum dos navios da frota conjunta do grupo. Segundo a companhia, o objetivo é garantir a segurança dos hóspedes. Confira na íntegra a nota enviada à imprensa:

"O grupo Royal Caribbean, preocupado com a segurança dos hóspedes a bordo de seus navios, tomou a decisão de não autorizar o embarque do celular Samsung Galaxy Note 7 em virtude dos recentes incidentes e preocupações levantadas pela marca de celular sobre este dispositivo em particular, bem como a Federal Aviation Administration (FAA) em recente proibição dos aparelhos em todos os aviões. Desta forma, solicita-se aos hóspedes que não estejam em posse desse dispositivo em seu cruzeiro."

Lançado ao mercado em agosto, o Galaxy Note 7 não chegou a ser comercializado no Brasil, mas foi vendido nos EUA, na Europa e em parte da Ásia. Já no começo de setembro, os usuários do aparelho começaram a relatar problemas relacionados à bateria e ao carregamento, com diversas alegações de baterias explodindo durante a carga. Também houve relatos de aparelhos se incendiando e causando incêndios maiores, como no caso ocorrido na Flórida em 14 de setembro. 

Um Galaxy Note 7 deixado dentro de um Jeep se incendiou e o fogo acabou se alastrando por todo o carro. 

Jeep se incendeia após Galaxy Note 7 na Flórida, EUA
Após estes episódios, a Federal Aviation Administration (FAA) publicou resolução orientando os passageiros de aviões nos EUA a embarcar apenas com os aparelhos desligados, evitando também carregá-los a bordo. A agência de aviação européia também fez recomendações semelhantes logo em seguida. 

Forçada pelos problemas, a Samsung anunciou a substituição de todos os aparelhos vendidos por uma nova versão do celular - que teria, supostamente, os problemas de bateria corrigidos. Os novos Galaxy Note 7, no entanto, também se incendiaram, e a empresa acabou sendo obrigada a realizar recall de todos os smartphones do modelo vendidos, além de descontinuar a produção

Enquanto os aparelhos não somem por completo, a FAA voltou a abordá-los em comunicado publicado em 14 de outubro. A agência de aviação americana proibiu o aparelho a bordo de aviões nos céus dos EUA, mesmo desligados. As companhias aéreas Quantas, Virgin Australia e Singapore Airlines também proibiram os celulares em suas aeronaves. 

Agora, a Royal Caribbean passa a ser a primeira companhia de cruzeiros a seguir a linha das empresas aéreas e proibir o aparelho em seus navios.

 Texto (©) Copyright Daniel Capella.
Imagens (©) Copyright Daniel Capella e de seus respectivos autores.

0 comentários:

Postar um comentário

 

©2013 Design por Ray Câmara