Temporada 2017/2018 no Brasil: o que esperar?

|

MSC e Costa continuam dominando o mercado local
A temporada 2017/2018 no Brasil já está quase definida. Duas das principais companhias que operam no país: Costa e MSC já definiram navios e roteiros, e já estão, inclusive, vendendo pacotes para a estação. A Pullmantur/CVC, deve confirmar sua temporada em breve, enquanto isso, Norwegian Cruise Line e Royal Caribbean International também já definiram que não irão retornar ao país. 

Costa: Favolosa e Fascinosa em temporada semelhante à atual

Costa Favolosa será dedicado ao mercado brasileiro
Depois de operar quatro navios de grande porte em 2012/2013, a Costa Crociere segue com sua operação na América do Sul reduzida a apenas dois navios. Em 2017/2018, as embarcações em questão serão duas das maiores e mais novas da frota: Costa Favolosa e Costa Fascinosa. A oferta é semelhante a da temporada atual, a 2016/2017; os roteiros tem pouca variação e o período de permanência dos navios na região também é similar.

“Enquanto as concorrentes diminuíram bastante a oferta, a Costa manteve mais ou menos a mesma oferta desde 2013”, disse o presidente da companhia no Brasil, Renê Hermann. Segundo ele, o mercado brasileiro segue sendo problemática e pouco lucrativo para a operação dos cruzeiros, o que impede o crescimento da oferta local. “Um navio novo hoje custa 700 milhões de euros, e a companhia vai colocá-lo onde há retorno financeiro maior”, explica. 

Dessa forma, o Costa Favolosa chega ao Brasil em dezembro, e ficará baseado no porto de Santos, realizando roteiros rumo ao Prata e ao Nordeste até meados de março. Enquanto isso, o Costa Fascinosa assume os roteiros que são realizados atualmente pelo Costa Pacifica, embarcando passageiros no Rio de Janeiro e em Buenos Aires. Estas viagens, que tem entre 9 e 7 noites também acontecem entre dezembro e março.


MSC: Aumento de oferta com volta de navio dedicado a embarques no Rio de Janeiro

MSC Musica retorna ao Rio de Janeiro para embarques no Píer Mauá
Após uma temporada bastante reduzida, a MSC aumentará sua oferta na América do Sul com o acréscimo de um navio à região. Assim, o Brasil passará a contar com três navios da companhia, enquanto a Argentina segue com um. A oferta ainda será consideravelmente menor do que a de outros anos, mas representa crescimento em relação à temporada 2016/2017, quando apenas três navios serviram Argentina e Brasil. 

O MSC Preziosa retorna ao país para embarques em Santos rumo ao Nordeste, enquanto o MSC Magnifica assume o lugar do MSC Musica nos roteiros rumo ao Prata a partir de Santos. O Musica seguirá navegando na região, mas passará a embarcar exclusivamente no porto do Rio de Janeiro, para roteiros com destino ao Prata e ao Nordeste. Já o porto de Buenos Aires recebe o MSC Poesia, dedicado exclusivamente ao mercado argentino.

O primeiro navio a chegar é o MSC Preziosa, que estará em Santos a partir de 19 de novembro. O navio também é o último a partir, seguindo para a Europa apenas em 8 de abril. O restante da frota sul-americana navega na região entre o começo de dezembro e meados de março.




CVC: Parceria com Pullmantur e possíveis novidades

Sovereign deve retornar em parceria com a CVC
A CVC voltou a operar cruzeiros diretamente no Brasil na última temporada, com um acordo com a Pullmantur. Assim, o Sovereign - maior navio da companhia espanhola - foi deslocado ao Brasil para uma estação local. "A Pullmantur cuida de toda a operação, é a área onde eles tem expertise", explicou o vice-presidente de vendas, produtos e marketing da CVC, Valter Patriani. "A CVC, por outro lado, tem a expertise da venda. Então unimos nossas qualidades, a CVC sabe vender e a Pullmantur sabe operar", completou o dirigente. 

A rede brasileira ainda não divulgou oficialmente seus planos para a temporada 2017/2018, mas deve trazer o Sovereign novamente ao país no mesmo esquema da temporada atual. Existe também a possibilidade do aumento na oferta, com o acréscimo de embarcações. "Ainda não fechamos, que fique claro. A ideia, no entanto, é que outros barcos também venham ao Brasil após essa temporada", disse Patriani no início da temporada 2016/2017, em dezembro. "Estamos em tratativas, a ideia é que esse projeto continue", completou. 

Um navio mais moderno está nos planos da CVC
Segundo apurou o Portal WorldCruises.com, a CVC poderia até mesmo fretar navios de outras companhias para sua operação nacional. Com a maior parte da frota da Pullmantur já destinada a cruzeiros no Caribe e Europa na época da operação nacional, o operador brasileiro estaria buscando embarcações - inclusive maiores e mais modernas - em outras empresas. O anúncio oficial da temporada deve acontecer em meados de março. 

Norwegian Cruise Line: América do Sul sem Brasil

Norwegian Sun
Depois de estrear no Brasil nesta temporada, com o Norwegian Sun, a Norwegian Cruise Line não retornará ao país na próxima estação. A companhia, que é a principal marca do terceiro principal grupo de cruzeiros do mundo, retornará à América do Sul, mas não realizará mais embarques em portos brasileiros. 

Um dos menores navios da frota, o Norwegian Sun navegará entre o Chile e o Uruguai durante toda a temporada, realizando embarques no porto argentino de Buenos Aires e no chileno de Valparaíso. A estação terá sua duração reduzida; em vez de ficar na região entre novembro e meados de abril como em 2016/2017, o Sun realizará também cruzeiros pelo Caribe durante a temporada 2017/2018. Assim, navegará na América do Sul apenas entre dezembro e meados de fevereiro. 

A companhia não se declarou oficialmente sobre as mudanças. Nos bastidores, no entanto, sabe-se que as vendas da temporada de estréia no Brasil não foram satisfatórias. O formato da temporada - com embarque no Brasil e desembarque na Argentina ou vice-versa - parece ter prejudica a operação, que não atraiu o cliente nacional como a NCL esperava. Os problemas crônicos do mercado de burocracia e taxação, que foram, inclusive, o motivo para o formato da temporada, também parecem ter pesado na decisão. 

Royal Caribbean: Segunda temporada consecutiva longe

Portos brasileiros e Royal Caribbean: relação sempre complicada
A Royal Caribbean International seguirá distante do Brasil na temporada 2017/2018. Será a segunda estação consecutiva em que um navio da companhia não navega pela América do Sul. A última temporada da RCI foi a 2015/2016, quando o Rhapsody of the Seas estreou em águas nacionais. 

Com uma frota de 25 navios, a Royal se dedicará principalmente ao Caribe, seu principal mercado. Além disso, terá forte presença na Austrália e na Ásia - mercados em que tem apostado ultimamente. De origem nórdica, a companhia sempre se queixou do ambiente de negócios brasileiro, que, segundo seus diretores, é problemático em diversas questões, como as taxações, a infraestrutura e a burocracia. 

Texto e Imagens (©) Copyright Daniel Capella.

1 Comentário:

Anônimo disse...

Tomara que na temporada 2017/2018 não aconteça o absurdo que está acontecendo nesta: A MSC dá o UP GRADE e depois toma de volta, Ridículo!

Postar um comentário

 

©2013 Design por Ray Câmara